quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Dicas para se inspirar nas tendências de molduras

Se as molduras valorizam um quadro e complementam a decoração, que tal fazer desse ambiente um lugar cheio de personalidade, seguindo as tendências com pura arte em madeira? Neste post, você vai encontrar algumas inspirações para transformar ambientes de forma aconchegante, sempre com a intenção de enaltecer através das molduras, gravuras, telas, porta retrato, pôster, espelhos e quadros.

Segundo a arquiteta Alessandra Braggion, do escritório Alessandra Braggion Arquitetura & Interiores, a moldura é um elemento que complementa e valoriza um quadro. “Em meus projetos, sempre busco combiná-las com a imagem que está sendo emoldurada, trazendo um pouco dos tons e materiais presentes na imagem para a moldura”.


A tendência da criatividade


Em 2017 e 2018, a decoração com molduras segue a tendência Gallery Wall, que pode ser traduzida como a liberdade de criar o ambiente personalizado, de forma criativa, fora do padrão para organizar os quadros, pôsters, gravuras e fotos na parede escolhida. “Fazendo referência à tendência da Gallery Wall, podemos considerar que molduras retas e minimalistas estão sendo bastante usadas, para harmonizar melhor com a grande quantidade de elementos da proposta”, diz Alessandra.



Dúvida cruel

Qual moldura escolher? Qual é a melhor composição para o meu ambiente? Se você não abre mão da sua personalidade, mas aposta nas tendências, a dica é arriscar sem medo de errar. Para a arquiteta Alessandra Braggion, a escolha de molduras é bem particular e vai do gosto de cada um. “Eu, por exemplo, gosto bastante de misturar elementos para emoldurar um quadro. Invisto em molduras retas, mais contemporâneas, combinadas com filetes um pouco mais rebuscados remetendo ao estilo clássico e passe-partout em tecido, o que dá um toque de sofisticação”.




A escolha da moldura depende muito da imagem que será emoldurada. O primeiro cuidado que se deve ter é o de escolher a moldura certa para combinar com o tema e os tons do quadro. “Só depois, pensamos na combinação desse conjunto no ambiente. Afinal, tendo a combinação ideal entre moldura e imagem, temos a liberdade de adequá-lo em diversos locais”, traduz Alessandra.


Combinação na certa!

A moldura deve combinar com a linguagem da tela, já que devem se complementar. Outra dica da Alessandra, é que ao usar uma mesma imagem fragmentada em duas telas, você opte por molduras iguais e de linhas retas. E por fim, tendo a tendência da Gallery Wall como referência, em uma grande composição de gravuras, pinturas, fotos, objetos. É preciso ficar atento para a harmonização do conjunto, tomando cuidado para que nenhuma moldura ganhe destaque em relação à outra.




O resultado é um ambiente cheio de estilo, com quadros emoldurados sem deixar de lado a sua personalidade. Você irá se surpreender como as molduras fazem diferença na decoração!

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Molduras: uma história perfeita para você!

Que a moldura valoriza o trabalho artístico ou objeto de decoração e transmite inúmeras sensações de memórias, não é novidade. Memórias estão ligadas com emoções e as molduras exercem muito além de uma experiência sensorial, evidenciam-se como um produto de desejo que faz parte da história do mundo, antes mesmo de emoldurar fotos, obras de arte, gravuras, telas, pôster para acompanhar as tendências da decoração atual, as molduras tiveram um valor histórico que acompanha a evolução dos séculos. Talvez esteja aí o grande poder de fascínio das molduras! Você já parou para pensar como as molduras surgiram de fato? O verdadeiro desenvolvimento das molduras aconteceu nas últimas décadas, isso é fato, muitas vezes uma percepção equivocada da arte de emoldurar. A sua linha do tempo engrandece o significado que as molduras trazem para a vida dos apreciadores do belo.
Os nossos antepassados já usavam molduras para delimitar o espaço das suas pinturas e desenhos. As fronteiras da arte, existiam antes de serem denominadas molduras, apareceram por volta de 2000 a.c. nas pinturas de tumbas egípcias. Há relatos que essa primeira manifestação artística era através de traços pintados em forma de quadros. Curiosamente, o processo de elaboração de uma obra de arte acontecia no sentido inverso de hoje.  Os primeiros quadros apareceram no século XIII com o nascimento dos painéis pintados da baixa Idade Média, a moldura não era originalmente um produto em si. As molduras eram de madeira e serviam como suporte para a pintura, muito longe do que são hoje, a parte utilizada para pintar vinha da diminuição da superfície, formando assim uma borda elevada. A função prática desse quadro era principalmente proteger a pintura. Para finalizar a pintura da obra, a fronteira era então pintada na cor vermelha, depois dourada e decorada.
Manifestações Egípcias - Akhenaton, Nefertiti e as princesas reais fragmento de relevo de Tell el-Amarna,  1350 a.c (XVIII Dinastia).

Era um processo muito caro para a época, que inibia a confecção de obras em grandes proporções, pois era quase impossível encontrar tábuas com grandes dimensões que pudessem ser esculpidas. Com o passar dos anos, avanço das técnicas de marcenaria, as molduras puderam ser fabricadas, sendo cortadas e anexadas a um painel com a possibilidade do mesmo efeito só que de uma forma bem mais eficiente. No século XIV, surgem as molduras em formas de retábulos, com influência das fachadas góticas ou plantas com colunas em espiral. Os retábulos se caracterizavam por suas colunas em espiral, harcos e as ogivas que descansavam em placas.
Durante os séculos XV e XVI, as pinturas eram encomendas feitas pela Igreja, os retábulos eram essas principais encomendas e eram peças fixas. O Renascimento foi o divisor de água para uma significativa mudança nesse cenário. Nobres começaram a dividir o mecenato com a igreja e cada vez mais colecionavam pinturas e esculturas em suas propriedades.
LUCA SIGNORELLI (1445 a 1523) - Madona e criança - Óleo sobre madeira

Como precisavam transportar essas obras, surgiu a necessidade de uma armação mais leve e portátil, as molduras passaram a ter um sentido funcional de proteção e estético. O século XV foi marcado como a primeira autonomia de quadros funcionais, onde a pintura e a moldura deixam de ser uma única peça, a moldura começa a ter forma independente das obras. Com o aumento das obras de retrato, era necessária uma moldura com menos referência religiosa. 
No reinado de Luís XIII, surgiram novos perfis de moldura com arabescos dos mais diversos possíveis, que originou ao processo natural do estilo barroco de molduras.  A Europa foi influenciada por essa magia de produção. Madeira e gesso eram usados em perfis mais rebuscados. O Barroco estava em seu ápice, originando para os excessos do Rococó.
No século XVIII surgiram as molduras mais leves, finas com uma grande tendência para o uso do bambu. O século XIX é diferente de qualquer outro período na história de quadros, com um estilo eclético, muitos novos perfis de molduras e novas formas de montá-los foram sendo criados. Existia uma grande variedade de estilos, originando uma criatividade peculiar. 
Vindo para mais perto, no século 21, as molduras antigas chegaram como uma tendência da moda, combinando o quadro com a pintura do mesmo período. A partir do ano 2000, as molduras mudaram de cenário, aparecem com recursos tecnológicos, principalmente na sua produção, que até então, era feita de maneira mais artesanal. Os anos passaram, mas o valor histórico permanece aclamado!



sexta-feira, 28 de julho de 2017

Dicas para emoldurar: saiba os principais cuidados nesta hora.

É incrível como uma moldura é capaz de transformar e valorizar uma gravura, pôster, tela, porta retrato, espelho, e ao mesmo tempo, despertar um sentimento de memórias. Claro que a imagem chama atenção, mas as molduras despertam um poder único e complementam a decoração do ambiente. Já falamos por aqui sobre as três primeiras etapas que envolvem a montagem da moldura. Hoje você vai ficar por dentro de um processo minucioso e quase artesanal de preparo da obra, é o tão esperado momento de emoldurar. O resultado são peças encantadoras prontas para o seu cliente se apaixonar.


Cuidados no acabamento é primordial

Existem alguns detalhes que fazem os quadros ficarem ainda mais fascinantes aos olhos, além de proporcionar durabilidade e oferecer maior qualidade. O mais importante de tudo, é seguir todos os passos de forma criteriosa. Segundo o nosso GUIA DE MONTAGEM DA MOLDURA, atenção nos três primeiros passos: o corte, a cola e o processo de grampeamento. Após essas etapas, o próximo passo é fazermos o acabamento nas junções das molduras. Recomendamos o uso da Massa para Acabamento da Moldurarte, que foi desenvolvida especialmente para o nivelamento e preenchimento das junções das molduras, aceitando acabamentos a base de água ou solvente, oferece uma secagem rápida, não racha e preenche sem retrair. Você pode encontrar em potes de 90g em 12 cores diferentes que permitem um acabamento perfeito em todas as molduras.

A diferença nos detalhes

Com as molduras montadas e acabadas chegou a hora de montarmos o quadro. A imagem (gravura, foto e ou outros) a ser emoldurada não deve ser enquadrada encostada no vidro. Para isso, não esquecer de usar o passe-partout, elemento colocado entre a imagem e a moldura que serve como uma proteção deixando a obra respirar, e também, evidencia a imagem, ou não confunde a imagem com a Moldura. O Foam Board é um outro componente importante na montagem. É uma placa de espuma sintética (poliestireno), super leve, laminada com papel liso dos dois lados. É recomendado para servir de apoio e proteção a obra a ser emoldurada, fazendo o fechamento da parte de trás do quadro.  A Moldurarte oferece o Foam Bord com a melhor qualidade para acabamento para os seus quadros.

O Vidro também faz toda diferença na montagem, principalmente porque estamos falando de uma imagem que precisa durar muito tempo. O cuidado na escolha do vidro é de fundamental importância, vidros comuns, sem filtro, podem desgastar a imagem rapidamente, pois não oferecem a proteção UV necessária. Para “fechar com chave de ouro”, escolha os penduradores modernos e resistentes para os seus quadros da Moldurarte para completar a sua montagem. Para facilitar também a colocação do quadro na parede, recomendamos o uso do arame fixado entre os penduradores. A Moldurarte desenvolveu o arame galvanizado plastificado que tem uma ótima apresentação e uma grande durabilidade.


Principais cuidados

A limpeza e manutenção das máquinas e ferramentas para você emoldurar precisa ser constante, pois pode comprometer o corte e o grampeamento que posteriormente não proporcionará um bom fechamento do quadro, comprometendo assim todo o trabalho.

Alguns cuidados:

- Não colocar a mão sobre a obra (gravura, pôster, tela); recomendamos utilizar luvas para não contaminar a imagem; 
- Usar a massa recomendada e específica para Junção de Molduras;
-   Limpeza do vidro;
- Antes do fechamento do quadro, verificar se não ficou nenhum resíduo ou poeira na obra;
- Após o trabalho concluído, proteger os cantos do quadro para ser entregue ao seu cliente.


Passo a passo na prática


1. Corte da Moldura


2.  Uso da Cola Moldurarte




3. Grampeamento da Moldura




4. Uso da Massa Moldurarte



5. Montagem da Moldura finalizada!



6. Cuidado: Proteja os Cantos do Quadro!







terça-feira, 18 de julho de 2017

Guia de Montagem da Moldura: Saiba como funciona o processo de cola e grampeamento das molduras.

Gravuras, telas, porta retrato, pôster, espelhos. O processo de emoldurar é quase uma obra de arte! Já sabemos que existem diversos aspectos que evolvem o passo a passo para emoldurar, e se existe algo que agrega, e muito ao seu quadro, essa é sem sombra de dúvida: a moldura. Molduras para quadro exercem um papel de nobreza, valorizam a obra e oferecem um toque especial para a decoração de ambientes.


Hoje você vai conhecer um dos passos que envolvem a Montagem de um Quadro. É quase como o talhar da madeira à moldura, você se encanta por cada detalhe!


Preparação

A primeira coisa a ser feita é o corte da moldura. Após esta etapa vamos fazer o fechamento do quadro. Iniciamos pela aplicação da cola para junção das molduras, recomendamos o uso da Cola Moldurarte que é a única cola especifica para junção de molduras disponível no mercado. Lembrando que a junção das peças de molduras se dá através da curagem da cola, os grampos são utilizados apenas para segurar as partes das molduras unidas até que a cola cure, o que leva em torno de 12 horas. Atenção para a quantidade de cola a ser utilizada, em madeiras como Pinus que não tem muita absorção, deve-se colocar uma quantidade pequena de cola, pois corre risco de escorrer, já em madeiras porosas, como a madeira de eucalipto e a madeira do norte, pode-se usar uma quantidade maior de cola.


Sistema de grampeamento

Para entender como funciona o grampeamento de perfis de madeira, é importante saber que os grampos possuem basicamente duas especificações:

SW para madeira macia ou mole, como por exemplo, Madeira do Norte, Marupá e outras.
- HW para madeira de média dureza, como por exemplo, Pinus, Eucalipto, dentre outras.
Os tamanhos dos grampos podem ser de 5,7,10,12 e 15 mm de altura.

Ganhando a forma

Após selecionar o grampo recomendado para o tipo de madeira e para a altura da moldura a ser grampeada, a próxima etapa é colocar as molduras na grampeadora. Neste momento, entra uma matemática perfeita para garantir a qualidade final e acabamento impecável. Para grampear molduras altas, como as caixas, recomenda-se o uso de dois ou mais grampos sobrepostos. Já as molduras com o perfil baixo, você poderá usar apenas um grampo.




Cuidados para um perfeito grampeamento:

-  Escolher o tipo de grampo correto a ser utilizado.
 Ao alinhar as molduras na grampeadora, antes de efetuar o grampeamento, avaliar se a junção está perfeita.
- Grampeadora deve estar sempre limpa, sem resíduos de cola na mesa que podem prejudicar o grampeamento da moldura.
- Os pressionadores também tem que estar sempre limpos, sem resíduos de cola que podem danificar o acabamento da moldura.
- A máquina deve estar bem alinhada e nivelada.


O universo das molduras é fascinante, cheio de detalhes e paixão. Agora que aprendeu como funciona o processo de cola e grampeamento, fique atento, teremos nos próximos dias mais um tema a ser abordado, é a montagem de um quadro.